Última hora
recent

Paris - Atentados terroristas matam pelo menos 150 pessoas

Imagem - Atentatos terroristas em Paris matam pelos menos 150 pessoas e faz mais de uma centena de feridos
Os números não param de crescer a já se fala em mais de 150 mortos e mais de uma centena de feridos, numa tragédia, resultante de terrorismo sem precedentes na capital francesa, em Paris.

França está agora em alerta máximo e continua a procura de cúmplices que possam estar envolvidos na noite de ontem.

O jogo amigável França-Alemanha, a decorrer esta noite no Estádio de França, na zona norte de Paris, estava a terminar quando se ouviram as primeiras explosões. À mesma hora, uma série de tiroteios tinham lugar noutros bairros da capital francesa. Pelo menos 40 pessoas terão morrido e dezenas ficado feridas na primeira hora do pior ataque que França sofre em décadas.


Na casa de espectáculos Le Bataclan, onde decorria o concerto dos norte-americanos Eagles of Death Metal, cerca de 100 pessoas foram feitas reféns. Terá sido esse o número de corpos sem vida encontrados no interior da sala de concertos depois de se ouvirem novas explosões e de a polícia de intervenção rápida ter conseguido aceder ao local. Entre três e cinco suspeitos terroristas pelos sete ataques distintos - entre as bombas no estádio e a execução dos reféns em Bataclan - foram abatidos em troca de tiros com a polícia.

François Hollande, que assistia ao amigável da selecção nacional com a selecção alemã, foi retirado do local rapidamente. Pouco depois, num discurso à nação, declarava o estado de emergência nacional - pela primeira vez desde a guerra da Argélia -, mobilizando as tropas em Île de France (grande Paris) e confirmando o encerramento imediato das fronteiras. “A guerra em plena Paris”, declara o “Le Figaro” na sua homepage. Balanço de mortos pode já ultrapassar os 150.


Atualização:

- Número de mortos revisto em alta para mais de 150: 112 no concerto no Bataclan; 14 no restaurante Petit Cambodge; 19 junto ao restaurante La Belle Epuipe; 4 na Avenue de La République; 4 junto ao Estádio de França.

- Entre os quatro terroristas que morreram no Bataclan, três accionaram cintos de explosivos, de acordo com fonte oficial da polícia francesa citada pela AFP.

- Paris fecha tudo, este Sabado. No Twitter oficial da cidade foi divulgada a informação que os serviços e instalações públicas (escolas, museus, bibliotecas, ginásios, piscinas e mercados) estão encerrados durante o dia de sábado. A mesma conta adianta que também as câmaras da região de Paris estarão de provas fechadas e que só as conservatórias de registo civil estarão abertas.

- Nova Iorque em alerta máximo depois dos atentados em Paris.

- Polícia confirma a morte de quatro agentes no assalto à sala de espectáculos Le Bataclan.

- O Facebook activou esta noite pela primeira vez em França uma função desta rede social, o Safei Check, que permite a cada utilizador ver se tem amigos na área de perigo e marcá-los caso se encontrem em segurança. Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, escreveu esta noite na sua conta pessoal para anunciar que a nova função já está activa e afirmou que "violência como esta não tem lugar em nenhuma cidade ou país do mundo".​

- Jihadistas do Estado Islâmico, que reivindicou os atentados, prometem novos ataques, em Washington, Londres e Roma. A informação é avançada pelo "Expresso".

- Com o metro encerrado, muitos taxistas levam pessoas a casa sem cobrar pelas viagens.

- Entre os feridos no concerto no Bataclan estão indivíduos de nacionalidade portuguesa e brasileira, avança o jornalista freelancer Duarte Levy à SIC Notícias.

- Câmara de Paris confirma que o ataque fez pelo menos 112 mortos, dos quais 70 no ataque ao Bataclan. Pelo menos dois terroristas foram mortos na sala de espectáculos, segundo uma fonte policial citado pelo "Le Figaro" - AFP está a avançar que foram neutralizados cinco terroristas, pelas autoridades francesas, nos atentados desta noite em Paris.

- Vaticano mostrou-se esta noite "chocado" com "uma nova manifestação de violência terrorista". O porta-voz da Santa Sé, Frederico Lombardi, leu um comunicado onde o Vaticano "condena da forma radical, juntamente com o Papa" os actos violentos de Paris que diz significarem "um ataque à paz de toda a humanidade e requerem uma resposta decisiva da parte de todos".

- Luzes da Torre Eiffel foram desligadas esta noite, em homenagem às vítimas dos atentados terroristas. Alguns dos edifícios mais emblemáticos das principais cidades do mundo estão iluminados com as cores da bandeira francesa (azul, branco e vermelho), caso do Empire State Building em Nova Iorque, numa demonstração de solidariedade com os ataques terroristas.

- François Hollande diz que a França está preparada para o combate, que será "impiedoso". "Quando os terroristas são capazes destas atrocidades podem ter a certeza que vão enfrentar uma França unida e determinada", disse o presidente francês depois da visita à sala de espectáculos Bataclan, onde foram mortas 100 pessoas

- Estado Islâmico reivindicou os ataques. Contas do Twiter ligadas ao Estado Islâmico celebraram os atentados

- Presidente francês está a caminho do local dos atentados no Bataclan, avançou o gabinete. François Hollande vai acompanhado do primeiro-ministro Manuel Valls, do ministro do Interior, Bernard Cazeneuve e ainda da ministra da Justiça Christiane Taubira.

- À saída do Estádio de França, onde decorria o jogo França Alemanha e junto o qual começaram os ataques de Paris, os adeptos cantaram o hino francês

- Número total de mortos com os vários ataques em Paris aumenta para 140, de acordo com fonte oficial da polícia francesa que está a ser citada pela Reuters. Foram registados ataques em sete locais diferentes da capital francesas.

- Assalto ao Bataclan terminou com quatro terroristas mortos.

- France Presse fala em cem mortos só no Bataclan, a sala de espectáculos onde estava a decorrer um concerto (de Eagles of Death Metal, uma banda americana com concerto marcado em Lisboa no próximo mês) no momento dos atentados.

- “Estão a acontecer ataques terroristas a um nível sem precedentes na região de Paris”, disse Hollande num discurso transmitido na televisão francesa depois de ter sido retirado do Estádio de França em segurança. “É um horror.”

- A sala de espectáculos Bataclan, a escassos metros da redacção do semanário satírico “Charlie Hebdo”, também foi alvo de um ataque, durante um concerto dos norte-americanos Eagles of Death Metal. Mais de 100 pessoas feitas reféns.

- Pelo menos uma das explosões foi um ataque suicida, segundo fontes citadas pela AFP.

- Várias explosões foram registadas na zona do Estádio de França, nos arredores da capital francesa, onde França e Holanda disputavam um jogo, a que assistia o presidente francês, François Hollande. Fonte: Jornali.

Blogs Portugal

Com tecnologia do Blogger.