Última hora
recent

Mil estudantes finalistas portugueses foram expulsos de hotel depois de causarem danos de milhares de euros

Estudantes expulsos de hotel em Espanha
Destruíram azulejos, atiraram colchões pelas janelas, esvaziaram extintores nos corredores do hotel e largaram uma televisão dentro de uma banheira. Este terá sido o cenário de destruição deixado no hotel Pueblo Camino Real, em Torremolinos, no sul de Espanha, depois da passagem furacão de mil estudantes finalistas portugueses por ali. Os mil estudantes que foram expulsos em massa de Espanha na sexta-feira e no sábado.

O DN contactou a unidade hoteleira depois de o jornal espanhol El País ter relatado que o hotel nunca tinha visto "nada assim" e que os danos estão estimados pela polícia local em milhares de euros. Da receção do Pueblo Camino Real adiantaram apenas que "na segunda-feira o hotel vai realizar uma conferência de imprensa sobre os incidentes" e que não estava ninguém da direção, naquele momento, para prestar esclarecimentos adicionais.

Mas o incidente não é inédito, apenas a expulsão em massa o é. Em 2006 aconteceu um episódio da mesma gravidade numa unidade hoteleira em Palma de Maiorca (ver caixa).

Escoltados por uma patrulha da PSP que os foi acompanhar no regresso ao país e por elementos da Polícia Nacional espanhola, mil alunos finalistas portuguesas foram expulsos de Benalmádena, no sul de Espanha. A tradicional viagem de finalistas da Páscoa, terminou, para eles, ao segundo dia de estadia em Espanha.

"Os primeiros 500 saíram logo na sexta-feira e outros 500 estão hoje a sair. O mau comportamento associado ao consumo excessivo de álcool e as incivilidades nas unidades hoteleiras onde estavam alojados terão ultrapassado os limites", adiantou a comissária Cláudia Andrade, da Direção Nacional da PSP.

A polícia espanhola abriu uma investigação aos incidentes que poderá resultar em processo crime para os alunos maiores de idade.

A Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap) soube ontem à tarde do incidente de expulsão pelo DN. Jorge Ascensão, presidente da Confap, reagiu com genuína surpresa: "Mas a viagem tinha começado apenas há um dia ou dois!...". A expulsão dos estudantes traz, para o responsável, várias questões. "Os pais têm de pensar nestas viagens, se faz sentido os filhos fazerem viagens de finalistas antes de terminarem o 12ºano", sublinhou. "E que cidadãos estamos a formar?".

Ao longo de várias décadas, têm sido conhecidos episódios de desacatos provocados nos hotéis do Sul de Espanha por estudantes portugueses alcoolizados mas nunca nenhum incidente tinha levado a uma expulsão em massa. "A viagem é apenas responsabilidade das famílias e dos alunos. As escolas não têm responsabilidade nisto", garante Jorge Ascenção. " Ainda que alguns alunos levem professores com eles, isso não resolve nada". "Há que repensar o destino, porque é sempre no Sul de Espanha que acontecem estes desacatos".

Fonte:DN.

Blogs Portugal

Com tecnologia do Blogger.